Aviso no Topo do Site
Acompanhe as últimas notícias de Tapes e Região.

O vereador camaquense, Marcelo Gouveia, durante seu comentário semanal na Rádio Cidade, disse que a empresa BR Parking, concessionária do sistema de estacionamento rotativo em Camaquã, confirmou que o atual prefeito utilizava o estacionamento rotativo sem pagar pelo serviço.

De acordo com o vereador Marcelinho, chegou ao seu conhecimento por meio de denúncias nas redes sociais que algumas placas de veículos particulares estavam sendo isentas do pagamento de estacionamento, incluindo a placa do veículo particular do prefeito. 

Em 27 de março, o vereador Marcelinho através do pedido de informações nº 20/2020 encaminhou via Câmara de Vereadores, pedido de esclarecimento à Prefeitura de Camaquã, sobre a denúncia, questionando a veracidade da informação. Em 05 de maio, o prefeito Ivo, respondeu o pedido de informações afirmando que as isenções obedecem ao que preceitua a Lei 2.073 de 13 de novembro de 2016. O prefeito informou ainda que em contato com a empresa BR Parking a mesma teria informado que as placas citadas na denúncia não possuem isenção. 

O vereador encaminhou correspondência a empresa a qual não respondeu o seu pedido. Diante do silêncio da concessionária o Parlamentar procurou a empresa pessoalmente e foi orientado a enviar e-mail com os devidos questionamentos, o que imediatamente foi providenciado.

Por e-mail a gerente da empresa, Luciana Hartwig informou no dia 20 de maio, que a placa IXN8849 pertence ao veículo particular do prefeito “que não era cobrado estacionamento do mesmo, por a empresa considerar que seria um direito do Chefe do Executivo usar o estacionamento rotativo sem pagar, pois ele usa o carro para trabalhar na Prefeitura e o mesmo utiliza sempre a mesma vaga (em frente a Prefeitura)”. A gerente Luciana Hartwig argumentou ainda que após a denúncia a empresa passou a cobrar estacionamento do carro particular do prefeito, o que considera “indevida a cobrança, pois ele o usa para trabalhar na Prefeitura”, justificou.   

O prefeito utilizou-se dos serviços por mais de quatro meses sem pagar por isso, ressalta-se que o percentual de  26,01% da receita bruta obtida pela empresa concessionária na exploração mensal do estacionamento rotativo é repassado aos cofres públicos a título de ressarcimento pelos serviços explorados, tendo direito há isenção somente veículos oficiais, das forças armadas, táxis, quando estiverem em serviço com o taxímetro ligado e de oficiais de justiça em diligências, mediante cadastramento na Divisão de Trânsito.

De acordo com o vereador Marcelinho, o prefeito passou a pagar pelos serviços a partir de 16 de abril, após a denúncia vir a público.

Marcelinho disse que serão adotadas as medidas cabíveis com relação a conduta do prefeito. O Ministério Público e a Câmara de Vereadores tomarão conhecimento do fato, concluiu o vereador.

Fonte : Rádio Cidade / Camaquã

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ
AGORA É HORA DE SER VOCE?