Aviso no Topo do Site
Acompanhe as últimas notícias de Tapes e Região.

Desempregada, Adeyula Dias Barbosa Rodrigues, de 31 anos, teve seu auxílio emergencial negado. Ao consultar a sua carteira de trabalho digital encontrou dois empregos em aberto, sendo um com o cargo de “presidente da República”, pela Secretaria de Estado de Educação do Espírito Santo.

A capixaba está sem trabalho desde que foi exonerada do cargo de auxiliar de secretaria escolar da prefeitura de Vila Velha, em março de 2019. No entanto, este contrato também aparece em aberto na sua carteira de trabalho digital.

O marido de Adeyula teve o salário reduzido pela MP 936 e ela tem dois filhos, de 7 e 11 anos. Assim, deveria estar habilitada a receber o auxílio.

No entanto, ao fazer a solicitação, aparecia no aplicativo que ela era trabalhadora formal e, portanto, não tinha direito.

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação do Espírito Santo informa que seu cadastro lista a servidora como “cuidadora”. Segundo o órgão, a opção “presidente da República” sequer consta no sistema.

Já a prefeitura de Vila Velha reconhece que, em 2019, Adeyula foi desligada por término de contrato.

A caixa Federal não sabe explicar o que aconteceu.

 

Com informações O Globo

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ
AGORA É HORA DE SER VOCE?