Aviso no Topo do Site
Acompanhe as últimas notícias de Tapes e Região.

Nesta segunda-feira, 17 de maio, é celebrado o Dia Internacional de Combate à LGBTfobia. A data marca a luta da comunidade composta por lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transgêneros, transexuais e intersexos pelo direito à vida, à educação, ao trabalho, à saúde.

Há 30 anos, em 17 de maio de 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da lista de distúrbios mentais da Classificação Internacional de Doenças (CID). A decisão reconheceu que a orientação afetivo-sexual não pode ser considerada doença, por se tratar de traço da personalidade do indivíduo.

A mudança estabeleceu uma vitória para a movimento LGBT no combate ao preconceito e à violência contra essa comunidade. Apenas 29 anos depois, em maio de 2019, o mesmo procedimento foi adotado, pela OMS, em relação à transexualidade ou à condição de transexual, pessoa que não se identifica ou se identifica parcialmente  com o gênero que lhe foi atribuído no nascimento. 

O Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking de países que mais violentam e matam LGBT, dado que aponta a extrema vulnerabilidade dessa comunidade.

É importante destacar que a insegurança dessa população é acentuada por outros marcadores sociais – como raça, classe, gênero, geração – e que há um déficit de políticas públicas para a correção das desigualdades mencionadas.

Em Tapes houve avanços na luta contra o preconceito e combate a LGBTfobia

Tapes foi pioneiro na região da Costa Doce na luta contra a LGBTfobia. Foi na cidade que se realizou a 1ª Parada de Luta LGBTI+ no dia 6 de outubro de 2019. O evento marcou o inicio da constituição do Movimento LGBTI+ da Costa Doce que em fevereiro de 2020 realizou a Parada de Luta em Arambaré.

As paradas além das atividades artísticas trazem informações para a comunidade sobre a luta dos LGBTI+ e denunciar a homotransfobia, intolerância e preconceito.

Em abril de 2021 a Câmara de Vereadores de Tapes aprovou o Projeto de Lei 021/2021 de autoria da vereadora Cátia Iribarrem nomeando a praça na orla da Lagoa de André Alves de Azevedo. A praça que vem sendo construída na Rua João Ataliba Wolf nº 478, bairro centro, foi viabilizada através de recursos oriundos de Emenda Parlamentar do deputado federal Márcio Biolchi no valor de R$ 220 mil.  

O passista André Alves, de 22 anos, foi assassinado na noite do dia 26 julho de 2012. O crime revoltou familiares, amigos e a comunidade de Tapes.   

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ
AGORA É HORA DE SER VOCE?