Aviso no Topo do Site
Acompanhe as últimas notícias de Tapes e Região.

O prefeito Silvio Rafaeli realizou nesta semana mudanças no setor ambiental da prefeitura. O gestor não esclareceu os motivos das mudanças.

Segundo Rafaeli, a saída de Veridiana se deve ao desgaste natural do cargo. E que continuará sendo valorizada profissionalmente em uma outra função no governo.

O atual secretário de agricultura e coordenador de projetos, Francisco Moreira, deverá acumular a função na secretária de meio ambiente.

A bióloga e gestora ambiental, ocupou a pasta do meio ambiente durante oito anos. Na entrevista que segue ela faz uma análise da sua atuação na secretaria e fala sobre os problemas ambientais de Tapes.

Qual o motivo de tua saída?

 Veridiana: o cargo de secretária é um cargo de livre nomeação e exoneração, cabendo ao Prefeito Municipal à decisão de quem fica e quem sai, e foi o que aconteceu. Agradeci e agradeço ao Prefeito Silvio Rafaeli pela oportunidade e confiabilidade que me foi dada de estar atuante na área ambiental durante todos esses anos.

Quanto tempo esteve à frente da Secretaria de Meio Ambiente ?

 Veridiana: ocupei o cargo como secretária da Secretaria do Meio Ambiente desde o ano de 2013, então foram 08 anos de dedicação.

 A experiência de estar administrando uma área delicada como ambiental foi positiva?

 Veridiana: acredito que nas experiências sempre temos que extrair o lado positivo, apesar da área ambiental ser delicada ela é apaixonante, então compreendo que para administrar uma área como esta inicialmente deve-se gostar dela e posteriormente possuir ou adquirir capacitação técnica e jurídica para compreender as diversas situações e saber as decisões corretas que devem ser tomadas. A área ambiental é mais complexa do que se imagina, não é somente árvores e lixo, é um conjunto ecológico que inclui a intervenção humana, e só consegue estar em harmonia quando se contempla relações sociais, ambientais e econômicas.

Podemos dizer que a área ambiental é simplesmente TUDO, porque trabalhamos com pessoas, com animais, com atividades econômicas, sociais e de educação, etc.

Quanto à experiência positiva, digo que sim, pois pelo período que passei como gestora convivi e aprendi muito com as diversas pessoas e situações que encontrei durante o percurso da gestão, todas elas contribuíram de alguma forma para minha qualificação profissional e amadurecimento pessoal.

 O que destacaria da sua gestão?

 Veridiana: destaco a importância do município em possuir um órgão ambiental capacitado, composto por profissionais habilitados e comprometidos com o interesse público, com a sua atribuição e missão junto à sociedade, isso é a base, a secretaria do meio ambiente é composta por quatro departamentos: administrativo, controle e fiscalização, educação ambiental e licenciamento ambiental, e ainda realiza a gestão dos resíduos sólidos do município, portanto, nenhuma atividade pode ficar descoberta ou deficiente, todas estão interligadas e são importantes para o bom andamento da gestão ambiental municipal.

Ainda, destaco a grande importância de manter as relações de trabalho com os demais órgãos do Sistema Nacional do Meio Ambiente (SISNAMA), sendo eles a SEMA, FEPAM, IBAMA, MMA, bem como com os órgãos de fiscalização fundamentais como a PATRAM, MPE, MPF, Polícia Civil, Brigada Militar entre outros o qual tive a oportunidade de realizar trabalhos em conjunto em prol do meio ambiente.

 O que sentiu quando leu a homenagem dos/as trabalhadores da Coopercare publicada nas redes sociais ?

 Veridiana: eu ainda não consigo falar a respeito disso sem me emocionar, ouvi palavras tão especiais e tão confortantes que levarei para sempre comigo, comunicar a eles o meu desligamento foi a parte mais difícil da saída da SMMA.

Para mim eles são como minha família, tenho o maior carinho, respeito, orgulho e admiração por cada um deles, eles foram a minha maior motivação de trabalho durante o tempo que atuei na secretaria do meio ambiente, independente do desligamento da secretaria jamais irei abandoná-los porque o laço construído com eles foi de amizade, carinho e respeito, não apenas uma relação de trabalho, isso tudo vai muito além de um simples cargo ocupado.

Então o sentimento que tive quando ouvi as palavras foi GRATIDÃO.

 Qual momento destacaria como mais difícil que enfrentou na secretaria ?

 Veridiana: nada foi muito fácil, sempre houve atritos, houve dias e noites de preocupação em cumprir prazos, atender as demandas e a população de forma adequada com poucos recursos operacionais e muitas vezes sem eles.

Mas o momento que me marcou como mais difícil na gestão foi durante a transição financeira da COOPERCARE onde elaborei um projeto de melhoria para as condições financeiras deles e a pedido do Prefeito apresentei para os colegas de governo onde duas representações não apoiaram diretamente, naquele momento sofri muito mesmo, porque não seria eu a prejudicada e sim seriam as 33 famílias em caso de não aprovação, mas felizmente o Prefeito Silvio teve entendimento, interesse e apoio o projeto e colocamos em prática.

 O prefeito afirmou que deverá continuar na administração. Já Sabe qual setor será designada ?

 Veridiana: sou servidora pública desde os 16 anos de idade, seguirei na administração como concursada, porém o Prefeito Silvio me deu a oportunidade de escolher o local, ainda estou pensando, mas certamente solicitarei a designação para um setor o qual possa ser aproveitada a minha experiência e que poderei continuar defendendo o interesse público, porque é essa a minha motivação de trabalho.

 Na sua avaliação, quais são os problemas ambientais mais sérios em Tapes?

 Veridiana: considero que somos abençoados com nossa Lagoa dos Patos, o Butiazal, entre outras belezas naturais, porém são preocupantes os problemas ambientais não só do município, mas também da nossa região, precisamos nos voltar para defender e valorizar o que é nosso.

Apesar de não possuirmos grandes potenciais poluidores no município como fábricas de grande porte, por exemplo, temos um sério problema voltado à falta de tratamento do esgotamento sanitário que acaba prejudicando não só a parte ambiental – poluição da Lagoa, como a parte econômica e turística do município, é fundamental que a CORSAN cumpra suas obrigações com o município, o assunto esta sendo tratado via judicial, porém é moroso.

A questão animal também pode ser considerada um problema ambiental bem presente no município, pois não se tem uma política pública voltada a defesa e proteção animal, são inúmeros casos de abandono e maus tratos vistos diariamente.

Podemos ainda destacar não só como um problema ambiental, mas também de cunho social e econômico e que merece devida atenção é a coleta de lixo realizada pelos catadores informais, conhecidos como os “carrinheiros”, envolvendo desde pessoas necessitadas, crianças, idosos e usuários de drogas, os quais coletam os resíduos recicláveis das ruas e das residências muitas vezes antes da carroça de lixo que passa os “informais” coletam o material e armazenam em suas residências gerando a proliferação de vetores e incômodos aos vizinhos, acarretando inclusive um problema de saúde pública.

Para finalizar, compreendo que os problemas ambientais acabam ocorrendo naturalmente e são decorrentes e recorrentes pela falta de fiscalização, sendo assim importante destacar a necessidade de uma fiscalização ambiental efetiva e ostensiva em parceria com os demais órgãos fiscalizadores.

Fica aqui o meu agradecimento a todos os meus colegas, amigos, técnicos e demais pessoas que convivi e me acompanharam nessa caminhada.

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ
AGORA É HORA DE SER VOCE?