Aviso no Topo do Site
Acompanhe as últimas notícias de Tapes e Região.

Na tarde desta quinta-feira 27.5 uma força-tarefa integrada de instituições da Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP) e da União, com apoio do Ministério Público Estadual e do Poder Judiciário, realizou ações de combate à violência e a exploração sexual de crianças e adolescentes em nove cidades.

Na região houve diligências em Tapes e Sertão Santana. A polícia não informou se houve prisões e nem onde ocorreram as ações.

A ofensiva dá continuidade à intensificação de apurações e cumprimento de medidas judiciais promovida desde março deste ano pelas forças de Segurança do RS. Na terça-feira da semana passada (18/5), Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescente, o Departamento de Proteção à Grupos Vulneráveis (DPGV) da Polícia Civil apresentou o resultado do Mutirão Infância Digna.

O trabalho desenvolvido pelas 16 delegacias especializadas ligadas à Divisão Especial da Criança e do Adolescente (Deca) do DPGV agilizou a conclusão de 847 inquéritos envolvendo cerca de 1,2 mil vítimas de crimes de exploração sexual, a maioria estupros.

As atividades desta quinta também se integram à Operação Parador 27, coordenada pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP) para fomentar em todos os Estados a realização de ações em alusão ao Maio Amarelo, mês dedicado ao alerta da sociedade sobre o combate à exploração sexual infanto-juvenil.

Parte dos alvos da força-tarefa foram apontados em denúncias encaminhadas ao Disp pelo Disque-Denúncia 181 e pelo Denúncia Digital 181, no site da SSP. Dados do Departamento apontaram um aumento exponencial nos informes de suspeitas sobre abusos sexuais contra crianças e adolescentes. Entre 2018 e maio deste ano, o Disp recebeu 85 denúncias desse tipo de crime, sendo 34 a partir de janeiro, o que representa 40% do total no período.

Conforme dados do Observatório Estadual da Segurança Pública, o número de ocorrências de abusos contra vítimas de 0 a 17 anos no RS, considerando os registros de “exploração sexual infanto-juvenil”, “estupro” e “estupro de vulnerável”, caiu 13% em 2020 na comparação com o ano anterior, de 3.291 casos para 2.848 – ainda em nível muito elevado desse tipo de crime.

Na comparação entre janeiro e abril deste ano com o mesmo período de 2020, os números também apontam redução, de 993 ocorrências para 904 (-9%).

Fonte: Asscom. SSP 

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ
AGORA É HORA DE SER VOCE?