Aviso no Topo do Site
Acompanhe as últimas notícias de Tapes e Região.

Especialistas da área da saúde, emitiram uma recomendação para que as medidas protetivas de isolamento social para conter o coronavírus sejam mantidas.

Uma unanimidade entre especialistas é a adoção do distanciamento social de forma prolongada para retardar o aumento de casos.

Segundo os técnicos e pesquisadores na área da saúde, o pico da epidemia do coronavírus no País acontecerá em abril e inicio de maio.

A ideia de reduzir o impacto econômico e isolar só os mais vulneráveis (idosos e doentes crônicos, por exemplo), como propôs Bolsonaro, foi aventada por outros líderes mundiais.

A própria Itália contemplou a estratégia no início da epidemia. Rapidamente, diante da explosão de casos e mortes, mudou de ideia. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, também. O que fez o líder britânico recuar foi um estudo do Imperial College de Londres, de 16 de março. O trabalho projetou 250 mil mortes no país, se apenas medidas de isolamento mais brandas fossem adotadas.

Para o Brasil, os pesquisadores do Imperial College, indicam que uma estratégia de isolamento social de manter só idosos em casa poderia levar à morte mais de 529 mil pessoas.

O número é metade do que se projeta para um cenário em que nada fosse feito para conter o coronavírus (1,15 milhão de óbitos). Mas é bem mais alto do que a estimativa para um isolamento social rápido e amplo. Mesmo com essa restrição drástica, haveria ao menos 44 mil mortes.

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ
AGORA É HORA DE SER VOCE?