Aviso no Topo do Site
Acompanhe as últimas notícias de Tapes e Região.

Camaquã tem 18 casos confirmados. Assim como Cerro Grande do Sul também já teve caso confirmado. Porto Alegre onde muitos tapenses residem ou circulam já teve 1.577 casos de coronavírus e 44 mortes registradas oficialmente.

O vírus tá bem próximo embora algumas pessoas na cidade ainda não acreditem na realidade exposta diariamente nos relatos das autoridades de saúde nos meios de comunicação.

Na sexta-feira a reportagem do Portal A Notícia Tapes esteve circulando pelo centro da cidade. Encontramos muitas pessoas sem a proteção de máscaras colocando em risco inclusive outras pessoas que da forma correta estavam usando máscaras.

Outra constatação é que em alguns estabelecimento os protocolos de higienização do local, como carrinhos de compra não estavam sendo realizados conforme determinado pelo decreto municipal.

Nem álcool gel aos clientes na entrada dos estabelecimentos são disponibilizados.

Cabe lembrar que o Brasil se tornou na quinta-feira (04.06) o terceiro no mundo em vítimas fatais totais, ultrapassando a Itália, com 34.021 mortes. A marca foi superada cem dias após a detecção do primeiro caso de coronavírus no país.

Também houve renovação do recorde diário de óbitos: 1.479 vidas a menos em 24 horas – uma por minuto. Os números, no entanto, são provavelmente bem mais altos, por causa da subnotificação e falta de capacidade para realizar mais testes.

Mesmo com esse crescimento dos casos e de mortes, sem que o pico tenha sido superado e com a maior parte dos estados com níveis de contágio elevados, alguns governadores e prefeitos começaram a relaxar medidas de restrição de isolamento social.

Segundo pesquisadores que acompanham a evolução da pandemia, o cenário para os próximos dias tende a ser trágico.

Uma estimativa do grupo de monitoramento da pandemia Covid-19 Brasil, prevê que, contados dez dias após o começo do alívio das restrições, o número de infectados cresça 150% e o de vítimas fatais exploda.

O prefeito Silvio Rafaeli também esteve sexta-feira à tarde circulando pelo centro da cidade e observou os mesmos problemas. Aglomerações sem respeitar a distância minima em uma farmácia, pessoas sem utilizar máscaras em caixas eletrônicos e não cumprimento das normas de higienização.

Silvio Rafaeli diariamente tem reiterado o pedido para as pessoas se cuidarem evitando aglomerações e usarem máscaras. Saindo de casa somente para fazer o que for necessário.

Mas muitos tapenses não estão acreditando na gravidade da pandemia. O fato de Tapes ainda não ter nenhum caso na cidade confirmado ajuda a essa displicência que pode custar caro. 

Na sexta-feira a Secretaria Estadual de Saúde divulgou Boletim Epidemiológico onde constou a existência de um caso de contaminação de uma mulher em Tapes.

No entanto essa paciente é uma profissional da área da saúde que tem endereço de nascimento em Tapes mais se contaminou em Porto Alegre.

Outra tapense também contraiu o vírus e deve ser confirmada no próximo Boletim. Ela também seria profissional de saúde e mora na capital. Como em seus documentos aparece como município de origem Tapes é provável que a secretaria estadual de saúde acrescente em seus dados como sendo mais um caso de Tapes.

Quando estes dados chegam na secretaria estadual de saúde eles são computados como sendo casos da cidade de origem da paciente.

Mesmo com a confusão dos Boletins a pandemia não é uma “gripezinha” como de forma irresponsável e desumana disse o presidente Jair Bolsonaro.

Os números e a realidade mostram que a situação é grave e deve ficar mais grave ainda, portanto a única forma de evitar que o vírus chegue em Tapes é reforçar as medidas de prevenção.

Como se prevenir

Profissionais da saúde e autoridades têm destacado, como medida preventiva à propagação da Covid-19, causada pelo novo coronavírus, é as pessoas evitarem aglomerações e o contato próximo com outras pessoas. A recomendação ocorre porque a transmissão pelo vírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • Espirro

  • Tosse

  • Gotículas de saliva

  • Contato físico com uma pessoa infectada

  • Toque em objetos ou superfícies contaminadas (seguido de contato com boca, nariz ou olhos)

Para reduzir as chances de transmissão pelo contato com secreções, a orientação é não permanecer perto de um grande número de pessoas. A medida vale para cidadãos de qualquer faixa etária.

Os erros da população que podem ser trágicos:

Não respeitar o isolamento social

Eis uma orientação unânime de médicos, especialistas e autoridades da área da saúde. Evitar ou reduzir contato social é uma das medidas mais eficientes para minimizar a circulação do vírus, reduzir a incidência de episódios graves e, assim, não deixar o sistema de saúde entrar em colapso.

Alguns estados, foram forçados pela realidade a entrarem em quarentena, que restringe obrigatoriamente atividades e o tráfego de pessoas.

Mesmo que Tapes ainda não passe por isso, a recomendação é manter o isolamento social. Isso não significa ficar 100% recluso em casa: as saídas para ir ao mercado ou à farmácia podem ocorrer, desde que em menor frequência e seguidas de boa higiene das mãos.

No caso de idosos ou pessoas que já tenham a imunidade comprometida, a orientação é fazer de tudo para não botar o pé pra fora. Pelo menos na fase de pico da epidemia. Que ainda nem chegou no sul do Brasil.

Quem não está nem aí para essa orientação não só corre maior risco de ser infectado como de transmitir o vírus para familiares e vizinhos. Lembremos que oito em cada dez casos de infecção pelo coronavírus não têm sintomas ou apresentam apenas manifestações mais brandas. Mesmo assim, o patógeno pode ser transmitido por essas pessoas.

Não lavar as mãos direito

Talvez nunca você tenha ouvido tanto falar no assunto. E não é pra menos: a higiene correta das mãos é crucial para não pegar a doença ou distribui-la aos quatro cantos. Mas o uso de água e sabão têm de ser adequado. Não adianta só passar uma água ou dar aquela ensaboada de leve.

Os especialistas recomendam que a lavagem dure algo em torno de 20 segundos e cubra palmas, dorsos, dedos, unhas e punhos. Não precisa recorrer a sabão antimicrobiano. As versões convencionais dão conta do recado (seja em barra, seja em líquido). Se estiver fora de casa, ao desligar a torneira, tente usar um papel. Em casa, não custa recordar, toalhas devem ser trocadas com maior constância.

Lavar as mãos é rotina obrigatória ao sair e voltar de casa, especialmente se você tiver contato com alguém com sintomas gripais ou suspeita da infecção.

Outro erro: não usar máscara

O uso de máscara (mesmo as caseiras) é uma barreira física que serve para proteger seus clientes e os colaboradores. Por isso, de acordo com Decreto Municipal, recomenda que toda a população utilize máscaras. No entanto, é preciso lembrar que elas não substituem o isolamento social, a higienização das mãos e outras orientações de prevenção.

Cabe lembrar que as máscaras também possuem prazo de validade. Se ficarem úmidas, é hora de trocar e jogar fora. Mas tem de ser no lixo.

Uma espiada pelas ruas da cidade de Tapes não raro se depara com pessoas sem usar máscaras ou ainda colocando abaixo do nariz ou embaixo do queixo. Isso é um mau exemplo de cidadania e de respeito ao próximo. Ainda mais se ele estiver bem próximo.

Comprar remédios para prevenir ou tratar a Covid-19 em casa

O desabastecimento de medicamentos como cloriquina e hidroxicloriquina — prescritos para o tratamento de malária e doenças autoimunes — acendeu esse alerta. Já tem gente comprando drogas que supostamente conteriam a infecção pelo novo coronavírus. Erro grave!

A Sociedade Brasileira de Infectologia ressalta que, até o momento, não há medicação comprovadamente segura e eficaz contra a Covid-19. Aliás, não existem evidências de que nenhum remédio previna a infecção. Assim como chás e suplementos vitamínicos.

Compartilhar tudo que recebe pelo WhatsApp

As redes sociais têm exercido um papel positivo e outro negativo em meio à pandemia. Se por um lado ajudam a disseminar informações corretas e atualizar a população, por outro replicam conteúdos fajutos ou sem embasamento científico.

A primeira regra em tempos de coronavírus é: verifique a origem do texto, do vídeo ou do áudio antes de acreditar ou sair compartilhando. Priorize o material elaborado pelo órgãos de saúde e pelos veículos de comunicação. E desconfie de qualquer solução milagrosa.

Um estudo já clássico do Instituto de Tecnologia de Massachussets descobriu que uma notícia falsa tem uma probabilidade 70% maior de ser compartilhada. Cuidado com mensagens apocalípticas, mágicas ou fora de contexto. Na dúvida, não passe adiante

Ir ao hospital Nossa Senhora do Carmo diante de qualquer sintoma

Não custa repetir a orientação dos especialistas: a maioria dos casos de Covid-19 não tem manifestações severas nem ameaça a vida. Desse modo, a recuperação pode ocorrer em casa, lembrando, claro, de se evitar ao máximo contato com outros familiares e amigos. Além disso, outros vírus por trás de sintomas respiratórios estão em circulação, caso dos causadores da gripe e do resfriado comum.

Contudo, é fundamental procurar o atendimento médico se houver febre, falta de ar, fadiga excessiva ou o agravamento de sintomas como tosses e dores no corpo.

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ
AGORA É HORA DE SER VOCE?