Aviso no Topo do Site
Acompanhe as últimas notícias de Tapes e Região.

Nesta segunda-feira é feriado em Tapes. Nem todos sabem o motivo deste feriado. Hoje a cidade comemora 162 anos. Em 16 de Dezembro de 1857, Tapes foi elevada à categoria de Vila, sendo esta a data considerada como a de emancipação política do Município.

A verdadeira história de Tapes inicia quando seus primeiros habitantes chegam aqui. Os índios Aranches também chamados de Patos. tinham cultura Guarani, vieram de longe. São um ramo dos Quíchuas do Peru (também conhecidos por Incas) habitaram essa região ás margens da Lagoa que recebeu o mesmo nome ainda no período neolítico. Foram atraídos pela fertilidade do solo e pela abundância das pastagens da região.

Após a invasão do Brasil pelos Portugueses, os patos foram caçados por aventureiros paulistas que vinham de barco e os levavam para São Paulo como escravos. Em São Paulo morriam desidratados pois eram obrigados a vestir roupas de lã (estilo português) e a trabalhar na lavoura sob escaldante sol tropical.

No Século XVII, os Padres Jesuítas Espanhóis, com sede em Assuncion, no Paraguai, resolveram estabelecer reduções à margem esquerda do Rio Jacuí. Roque Gonzáles, padre jesuíta vindo de Guairá, fundou a primeira redução, próximo a atual cidade de Ijuí. Um século mais tarde as reduções se espalhavam por boa parte do atual Rio Grande do Sul.

Em Tapes, a realidade não foi diferente. Era assim que funcionava a charqueada de Brígida Calderon e Patrício Vieira Rodrigues. Localizava-se à margem direita da Sanga da Charqueada, no local onde atualmente se localiza o Loteamento Luis Carlos Wolf. Havia um ancoradouro de barco onde hoje se localiza o Camping Municipal Antonio Joaquim Simchen, onde ancorava um barco de nome Tapes, por isso o local era chamado de Porto de Tapes.

Para viabilizar o empreendimento o Cel. Patrício Vieira Rodrigues trouxe um contingente de negros escravizados que foram os primeiros trabalhadores de Tapes. As riquezas da cidade começam a ser produzidas e os primeiros prédios e estruturas através da mão de obra negra e escravizada.

As charqueadas tinham em média 80 escravos, ocupados nos intervalos da safra em olarias nas próprias charqueadas (produzindo material para construção das primeiras edificações) , derrubadas de mato e plantações de milho, feijão e abóbora nas pequenas chácaras que cada charqueador possuía na Serra dos Tapes.

A primeira sede do Município, denominada Freguesia de Nossa Senhora das Dores de Camaquã, foi criada dia 29 de Agosto de 1833. Sua emancipação política e administrativa ocorreu em 12 de Maio de 1857 mas por questões políticas ou econômicas, a Freguesia passava a integrar ora no território de Porto Alegre, ora de Camaquã, chegando inclusive a pertencer a Triunfo e Rio Pardo.

Em 16 de Dezembro de 1857, foi elevada à categoria de Vila, sendo esta a data considerada como a de emancipação política do Município.

Em 25 de Junho de 1913, o Município desincorporou-se definitivamente de Porto Alegre e, em 22 de Maio de 1929, através de um plebiscito, foi realizada a transferência da Sede da Vila de Nossa Senhora das Dores para o Porto de Tapes, então 2º distrito. Posteriormente, o Decreto nº 10 de 21 de Setembro de 1929, muda o nome de “Município de Dores de Camaquã” para “Município de Tapes”, sendo Primeiro Intendente o Sr. Manoel Dias Ferreira Pinto.

 

Fotos ilustrativas e Prefeitura de Tapes

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ
AGORA É HORA DE SER VOCE?